domingo, 30 de setembro de 2012

Eu sei por que choro...



A falta que me faz nada substitui...
A vontade de não mais está aqui é grande...
O sonho que tudo fosse diferente continua...
A certeza que não faço parte deste mundo é real...

Eu sei por que choro...

A aspiração de dias melhores ainda me comanda...
O querer a simplicidade da vida...
Deixa-me fora dela...
Estou só...
Sempre vivi...

Eu sei por que choro...

Nada depende de mim...
Sou testada e não alijada...
Luto sem temer...
Um dia a mais para crer...
Um dia a mais para viver...

Eu sei por que choro...

Não consigo trocar o que acredito pelo dito...
Não consigo sorrir sem a minha alma...
Não consigo querer o que todos querem...
Não consigo aceitar o que não é verdade...
Não consigo andar normalmente...
Sem chorar...

Eu sei por que choro...

Não é o agora...
Sempre e sempre...

Mas acredito no dia que não mais vou chorar...
No dia que o destino me permitir Amar...
No dia que você me abraçar...
Sentir o meu coração...
Em silêncio...
Só existir emoção...

Só durar o tempo suficiente...
Seja qual for...
Muito... muito do muito...
Ou o pouco do pouco que é muito para mim...

Eu sei por que choro...

Choro por medo de não poder realizar...
A única coisa que para mim é fundamental...
A excepcional forma de ser real...
A extravagante forma de viver...
A alucinante maneira de existir...
Que é tão simples...
Mas não temos controle...
Só muita vontade...

Eu sei por que choro...

Não choro por banalidades...
Nem por falta de idade...
Choro por gosto...
Gosto da essencialidade...

Por um coração vagante...
Amante... delirante...
Cheio de emoções...
Que sempre procurei...

Choro por você...
Choro por mim...

Eu sempre vou te amar!!!

Um comentário:

Pedro Luis López Pérez disse...

Vengo del blog de Raquel Crusoé (Arte e Cultura) y me ha encantado tu Rincón; por lo cual, si no te importa, me gustaría ser Seguidor de tan Bello Espacio, lleno de Magia, Sensaciones y Fantasías.
Un abrazo.