sexta-feira, 3 de fevereiro de 2012

Parecíamos tão perto...




Teus sentimentos de relutância e indiferença...
Fez de mim uma tola...
Que realmente aparentava ser...
Amar como sempre te amarei...

Eu não podia olhar ao meu redor sem angustia...
A recordação de tudo que sonhei...
A certeza que sempre tive...
O conhecimento do tempo que esperei...
Provoca-me sentir o que nunca quis...

Devia ter em algum instante duvidado de te...
Mas não duvidei...
Acreditei como ninguém te acreditou...

Amei como ninguém até hoje te amou...

Não devias ter hesitado de mim...
Não devias ter cegueira sobre o meu coração...

Não conseguir te favorecer com as
informações do meu caráter...

Perdi-me no falar a minha verdade...
Deixar meu coração gritar o meu amor...
Anos após anos...

Tudo parecia irreal para você...
Mas...
Para mim nunca foi...

Sempre estive bem perto nos anos de infelicidades...
Acreditei que não existiam motivos para
não está quando a felicidade chegasse...

Mais uma vez fui uma estúpida...

Relutei em acreditar o que estava a minha frente...
Você fazia questão de me mostrar...
Que eu não era nada...
Nada significava para sua vida...

Poderia ter me poupado sofrimentos...
Bastava ser verdadeiro...
Mas não teve a coragem de ser...

Não... Não...
Não soube ser meu amigo...

Eu sempre tive a certeza...
Se em algum momento fosse necessário...
Eu daria a minha vida por você...
Sem nada temer...

Você me fez feliz como ninguém conseguiria imaginar...
Fez-me triste como eu nunca pude esperar...

Todas as expectativas e surpresas da vida...
Todas as impressões felizes...
Dissolveram...

Muitos destes sentimentos não vão durar para sempre...
Só Um...

No intervalo desta minha renuncia...
Espero que sejamos agradecidos...
Pelos momentos de felicidades que tivemos...
Mesmos distantes...
Parecíamos tão perto...

Neste novo caminhar...
Que possamos trocar palavras afetuosas...
E sermos tolerante com a vida!!!

Um comentário:

Marilu disse...

Querida amiga, tenha um lindo final de semana. Beijocas